English Portuguese Spanish

Criada e instalada segundo as Leis Estaduais (SP) nº 7.663/91 e nº 10.020/98
Entidade Delegatária das funções de Agência de Água, conforme primeiro termo aditivo do Contrato de Gestão nº 033/2020/ANA.

Relatorio-GRI-Foto-divulgação

Conheça a Agência das Bacias PCJ de um jeito diferente!

Navegável e interativo, o conteúdo pode ser visualizado em forma de site ou documento

Com uma grande bagagem sobre os caminhos e resultados conquistados pela Agência das Bacias PCJ, o Relatório Institucional GRI 2020 foi lançado neste mês de abril. Esta é a terceira edição deste tipo de relatório que a Agência das Bacias PCJ produz. O documento foi elaborado com base nas Normas GRI Standards, da Global Reporting Initiative(GRI), adotadas por empresas e entidades em todo o mundo como metodologia para relatórios de sustentabilidade. Com ciclo de publicação anual, o relatório apresenta informações sobre a instituição, tendo 2020 como ano base. 

“Pelo terceiro ano consecutivo a Agência das Bacias PCJ desenvolve o relatório institucional baseado nas diretrizes GRI Standard visando prestar contas de forma que envolva as dimensões da sustentabilidade (ambiental, econômica e social), a transparência, a relação com os Comitês PCJ e o aprimoramento e melhorias contínuas voltadas a gestão dos recursos hídricos nas Bacias PCJ. As diretrizes GRI conduzem as informações sobre sustentabilidade de maneira efetiva, a fim de melhorar a performance de negócios de diferentes instituições, sejam elas governamentais, não governamentais ou do setor privado”, destacou a coordenadora de Gestão da Agência das Bacias PCJ, Kátia Gotardi. 

O relatório está estruturado em capítulos, que abordam temas materiais definidos em um processo de materialidade, apresentando os aspectos mais relevantes para direcionar a gestão e a comunicação da Agência das Bacias PCJ, considerando o contexto e os impactos de cada tema. No total, são 10 temas abordados, cada um com o depoimento de uma pessoa relacionada ao assunto. São eles: Desempenho econômico; Impactos econômicos indiretos; Práticas de compras; Anticorrupção; Materiais; Água, Efluentes e Resíduos; Biodiversidade; Emprego, Treinamento e Educação; Comunidades locais; e Políticas públicas.

Indicadores GRI correspondentes aos conteúdos estão apontados em todo o documento, bem como referências a outras agendas públicas às quais a Agência das Bacias PCJ aderiu, como os princípios do Pacto Global, envolvendo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e a Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P). O conteúdo ainda apresenta links e QR Codes como sugestões para aprofundamento de informações específicas. 

Os 10 temas considerados relevantes para a Agência das Bacias PCJ foram elencados a partir de um estudo, feito em 2018, seguindo o Princípio da Materialidade da GRI, que identifica tópicos relevantes com base em duas dimensões: importância dos impactos econômicos, ambientais e sociais da organização; sua influência significativa sobre as avaliações e decisões das partes interessadas.  Em 2020, uma análise que levou em conta os cenários interno e externo, não apontou a necessidade de atualização dos temas, que estão mantidos na edição lançada agora e orientam a distribuição do conteúdo. 

O Relatório Institucional 2020 está disponível no site: https://agencia.baciaspcj.org.br/institucional2020  .

SOBRE A AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ E OS COMITÊS PCJ 

A água tem diferentes usos – é fundamental em processos industriais, transporte, produção de alimentos, geração de energia, saneamento básico, entre outros. Gerenciar os valores arrecadados com a cobrança pelo uso dos recursos hídricos é uma das principais responsabilidades da Agência das Bacias PCJ. 

Constituída em 2009, a Agência das Bacias PCJ é uma instituição de direito privado sem fins lucrativos, que completará 12 anos em 5 de novembro de 2021. As deliberações das ações a serem realizadas pela Agência das Bacias PCJ são feitas pelos Comitês PCJ. 

Os três colegiados que formam os Comitês PCJ – Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (CBH-PCJ), Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ FEDERAL) e o Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba-Jaguari (CBH-PJ1) — são as instâncias máximas para a tomada de decisões sobre a gestão de recursos hídricos nas Bacias PCJ, com diretorias integradas. 

No dia 18 de novembro, o comitê paulista (CBH-PCJ) comemorou 27 anos de instalação. Em março deste ano, o comitê federal completou 18 anos e o mineiro (CBH-PJ1), 13 anos. 

As Bacias PCJ abrangem 71 municípios (66 paulistas e cinco mineiros). Os Comitês PCJ são compostos por representantes dos Governos Federal, dos Estados de São Paulo e de Minas Gerais, dos municípios, usuários dos recursos hídricos e da sociedade civil. Sua gestão é descentralizada e participativa, e busca a convergência das decisões desses colegiados como forma de garantir o desenvolvimento e a continuidade da gestão dos recursos hídricos nas Bacias PCJ. 

A região das Bacias PCJ possui cerca de 5,7 milhões de habitantes e responde por cerca de 5% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e 14% do PIB do estado de São Paulo.

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support