English Portuguese Spanish

Criada e instalada segundo as Leis Estaduais (SP) nº 7.663/91 e nº 10.020/98
Entidade Delegatária das funções de Agência de Água, conforme primeiro termo aditivo do Contrato de Gestão nº 033/2020/ANA.

PDC 1

Agência e Comitês PCJ, em parceria com Prefeitura de Piracicaba, investem na recuperação do ecossistema de propriedades rurais

Intervenção ocorre em área equivalente a 312 campos de futebol, na microbacia do Ribeirão Marins; cerca de 35 mil árvores serão plantadas

Com o objetivo realizar a adequação ambiental de 11 propriedades rurais localizadas na microbacia do Ribeirão Marins, localizada em Piracicaba (SP), a Agência das Bacias PCJ vai investir R$ 636.531,74 na restauração ecológica de uma área equivalente a 312 campos de futebol. O contrato, referente à execução do serviço, foi assinado na tarde desta quarta-feira, 12 de agosto, na Prefeitura de Piracicaba que é parceira do trabalho, assim como a Caixa Econômica Federal.

A iniciativa faz parte do Programa de Proteção dos Corpos D`água (Programa de Duração Continuada4 – PDC 4). O projeto foi selecionado por meio de Edital da Política de Recuperação, Conservação e Proteção de Mananciais dos Comitês PCJ, no âmbito do Programa II – Pagamento por Serviços Ambientais – PSA, modalidade “restauração”.

“Os recursos financeiros do contrato assinado irão colaborar na recuperação do Ribeirão dos Marins, que no futuro poderá ser utilizado para o abastecimento de Piracicaba. Já existe um Programa de Pagamento por Serviços Ambientais, patrocinado pela Prefeitura de Piracicaba, e estes recursos devem complementar a implantação de plantio de árvores, cercas, entre outras atividades que certamente vão coroar o programa de sucesso”, afirmou o Diretor-Presidente da Agencia das Bacias PCJ, Sergio Razera.

Entre as intervenções previstas está o cercamento de 3.273 metros, que tem o intuito de isolar fatores de degradação, além do reflorestamento e manutenção em 20 hectares pelo período de três anos. Serão plantadas cerca de 35 mil árvores nativas.

O prefeito Barjas Negri ressaltou a importância do projeto para o município, já que tem como foco a microbacia dos Marins, que está as principais de Piracicaba. “É um bom projeto, um bom dinheiro, que possibilitará o plantio de muitas espécies para a preservação da mata ao longo das nascentes e mananciais, garantindo a proteção ambiental e os recursos hídricos”, destacou.

De acordo com dados da Prefeitura de Piracicaba, a ocupação predominante na microbacia do Ribeirão dos Marins é a cana-de-açucar (58,66%), seguida pela vegetação natural (18,43%) e áreas de pastagens (8%). Geralmente as áreas de pastagens estão nos espaços com declives, com a prática da pecuária extensiva, exclusivamente a campo, explica a administração municipal.

A área urbana ocupa 4,74% da microbacia. Porém, devido a sua dimensão é extremamente importante. A mancha urbana ocupa a porção mais baixa da microbacia, principalmente na margem direita e o perímetro urbano municipal sofreu alterações recentemente, de forma que algumas propriedades com aptidão rural se encontram atualmente dentro do perímetro urbano.

A Caixa Econômica Federal (CEF) fará o acompanhamento financeiro do projeto. Participaram da assinatura do contrato o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, o Diretor-Presidente da Agência das Bacias PCJ, Sergio Razera, e o gerente de filial de Governo da Caixa, Márcio Antonio de Paula Capato.

Seleção
As propriedades fazem parte do programa de pagamento por serviços ambientais do município e o contrato em questão fomenta as ações planejadas pela Prefeitura de Piracicaba, que será responsável futuramente pelo incentivo econômico a ser pago aos proprietários geradores de serviços ambientais.

O edital da Política de Mananciais PCJ 2018, lançado em março de 2018, teve 11 municípios inscritos. Destes, somente Piracicaba, Artur Nogueira, Jaguariúna e Limeira foram classificados e considerados aptos, de acordo com os critérios estabelecidos na Deliberação nº 285 dos Comitês PCJ. O repasse será operacionalizado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Sema), com o apoio da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), do Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) e do Instituto de Pesquisas e Planejamento (Ipplap).

Tags

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support