English Portuguese Spanish

Criada e instalada segundo as Leis Estaduais (SP) nº 7.663/91 e nº 10.020/98
Entidade Delegatária das funções de Agência de Água, conforme primeiro termo aditivo do Contrato de Gestão nº 033/2020/ANA.

ESTUDO DEFINE AÇÕES CONTRA RISCO DE FALTA DE ÁGUA NA BACIA DO RIO CORUMBATAÍ

Reunião para apresentação de alternativas para o abastecimento de água nos próximos 20 anos ocorreu nesta quinta-feira (05.12.2019), na Agência das Bacias PCJ; nove municípios serão beneficiados

Diversas alternativas para o abastecimento de água na Bacia do Rio Corumbataí ao longo dos próximos 20 anos foram apresentadas na Agência das Bacias PCJ nesta quinta-feira, dia 5 de dezembro de 2019. A atividade fez parte da terceira etapa do estudo que visa estabelecer cenários e planejamento das alternativas de abastecimento de água para os nove municípios que pertencem à esta bacia: Analândia, Corumbataí, Cordeirópolis, Charqueada, Ipeúna, Itirapina, Piracicaba, Rio Claro e Santa Gertrudes. O estudo deve ser concluído até março de 2020.

Esta foi a segunda reunião técnica para apresentação das ações contra o risco de falta de água nesta região. A primeira ocorreu em setembro, quando foram solicitados adequações e ajustes à empresa responsável, vencedora da licitação, a Engecorps Engenharia. O projeto foi contratado pela Agência das Bacias PCJ em outubro de 2018, por decisão dos Comitês PCJ. O investimento é de cerca de R$ 480 mil, com recursos provenientes da Cobrança PCJ Federal (cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União).

O estudo traz as vazões captadas pelos diversos usuários (irrigação, humano, animal e industrial) para os próximos 20 anos e os cenários de disponibilidade de água em função da simulação dos consumos de água pelos diversos usuários. Com esses dados, a empresa apresentou um relatório com as ações emergenciais em curto (5 anos), médio (10 anos) e longo prazo (20 anos), que deverão ser realizadas visando o uso adequado dos recursos hídricos.

Foram apresentadas alternativas de intervenções, estruturais e não estruturais, para promoção da compatibilização entre disponibilidades e demandas hídricas, visando solucionar os conflitos identificados. As alternativas consideram a possibilidade de reúso de água, novos barramentos e captação subterrânea (aquífero Guarani ou outros aquíferos).

Para cada conflito evidenciado (maior demanda de água em relação a disponibilidade hídrica), foram apresentadas no mínimo duas alternativas. Após a aprovação das alternativas, deverão ser apresentadas as ordens de prioridades das obras e ações a serem implantadas. A quarta e última etapa, prevista para o primeiro trimestre de 2020, será a apresentação, em planta, das ações propostas. “A reunião foi de extrema importância, visto que a empresa apresentou duas alternativas propostas para cada município com criticidade para o abastecimento público, nos cenários dos anos 2030 e 2040”, ressaltou a coordenadora de Projetos da Agência das Bacias PCJ, Elaine Franco de Campos. Ela explicou que o Grupo de Acompanhamento Técnico terá que escolher entre estas duas, qual alternativa mais viável para o município, para que no próximo produto a empresa apresente a Indicação em plantas das alternativas viáveis.

Além de representantes da Engecorps, dos nove municípios e das companhias de saneamento que compõem a Bacia do Rio Corumbataí, participaram da reunião desta quinta-feira membros da Coordenação de Projetos e de Sistema de Informações da Agência das Bacias PCJ.

Tags

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support