Materiais

Item de divulgação GRI reportado neste capítulo: 301-Materiais
Foco de atuação: Preferência pelo uso de materiais renováveis

A3P-materiais
A3P-materiaisMOBILE002

Fazer gestão de recursos hídricos é fazer gestão da vida. Ter um órgão estruturado como a Agência das Bacias PCJ, que vem se capacitando e aprimorando seus processos, como é o caso do projeto de gestão arquivística, é a demonstração da profissionalização dessa instituição. É um conforto para a sociedade saber que a gestão dos recursos hídricos é feita de forma sustentável, com preocupações socioambientais que já começam dentro da instituição.”

Aluísio Teixeira Júnior,

Professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), instituição contratada para apoiar a Agência das Bacias PCJ na implantação da metodologia de gestão de documentos.

Consciência

AMBIENTAL NO DIA A DIA

O tipo e quantidade de materiais que uma organização utiliza em seus processos e atividades diárias indicam seu grau de dependência dos recursos naturais. Reduzir o uso de materiais provenientes de fontes não renováveis, reutilizar e recuperar materiais representam uma abordagem de gestão para o tema voltada à sustentabilidade. Ao aderir à Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) do Ministério do Meio Ambiente, a Agência das Bacias PCJ se compromete com um modelo de gestão pública de forma a minimizar os impactos socioambientais negativos gerados durante a jornada de trabalho.

Este compromisso, que envolve diversas iniciativas, estimula os colaboradores a incorporar princípios e critérios de gestão socioambiental em suas atividades, gerando economia de recursos naturais e eficiência dos gastos institucionais mediante o uso racional dos bens públicos, da gestão adequada de resíduos, e de aquisições de bens e materiais de consumo seguindo critérios socioambientais (escolha por materiais biodegradáveis, com maior durabilidade e menos agressivos ao meio ambiente, por exemplo).

Uso racional de materiais

O diagnóstico elaborado para a construção do Plano de Gestão Socioambiental (PGS) da A3P (ver Uma agenda integradora e multidisciplinar) identificou papel sulfite e copos descartáveis dentre os recursos consumidos na Agência das Bacias PCJ que exigiam ações para promover a redução do uso. Uma das frentes de ação é o projeto “ED Digital – Papel Zero”, que está inserido como meta no contrato de gestão celebrado com a Agência Nacional de Águas (ANA), e irá permitir à instituição substituir documentos e processos em papel para o formato digital.

O projeto contempla a adoção de uma metodologia de gestão de documentos, que envolveu diagnóstico, classificação em diversos critérios (temporalidade e grau de sigilo, por exemplo), contratação de gerenciador eletrônico de documentos e de certificado digital, além de uma parceria com o Arquivo Público do Estado de São Paulo. À frente dos trabalhos, atua a Comissão de Avaliação de Documentos e Acesso (CADA), formada por representantes de diversas áreas da Agência das Bacias PCJ. Campanhas para orientar os colaboradores sobre o consumo consciente de papel sulfite integram essa frente de ação. 

Medidas adotadas pela Agência das Bacias PCJ também têm foco na redução do consumo de copos descartáveis, como a distribuição de canecas duráveis para todos os colaboradores e a campanha “Adote seu copo” que visa incentivar públicos externos a utilizarem apenas um copo descartável ao longo de sua permanência na instituição. Displays colocados em todas as salas também integraram a campanha. Agora a instituição estuda a troca dos copos plásticos por alternativas ecológicas, com expectativa de 100% de substituição em até cinco anos.

O que já conseguimos em 2019

Gestão dos resíduos internos

A adesão da Agência das Bacias PCJ à A3P levou a instituição a repensar não apenas a utilização, mas também descarte de materiais internos em sua rotina. Para isso, elaborou o Plano de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos, que direciona a gestão do tema na instituição, em três eixos:

1 – Redução e reutilização dos resíduos na geração

2 – Segregação dos resíduos na fonte

3 – Orientação para a gestão dos resíduos sólidos

Práticas sustentáveis para a nova sede

A construção de uma sede própria para a Agência das Bacias PCJ reforça o compromisso da instituição com as práticas sustentáveis. Até 2022, a Agência deve estar instalada em uma nova sede no bairro Santa Rosa, no Parque Tecnológico de Piracicaba, ao lado da Incubadora de Empresas e de relevantes instituições de ensino. O terreno, com área de 3.958,22 metros quadrados, foi doado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Lei nº 9.224/19 aprovada pela Câmara dos Vereadores em setembro de 2019.

O projeto de construção, conforme previsto no Plano de Gestão Socioambiental, deve observar critérios de sustentabilidade socioambientais, além dos critérios de acessibilidade. Os investimentos serão com recursos próprios, que compõem o Fundo Patrimonial da Agência, provenientes do superávit anual da Cobrança PCJ Paulista.