English Portuguese Spanish

Criada e instalada segundo as Leis Estaduais (SP) nº 7.663/91 e nº 10.020/98
Entidade Delegatária das funções de Agência de Água, conforme primeiro termo aditivo do Contrato de Gestão nº 033/2020/ANA.

POST-20ª-Reunião-Extraordinária-dos-Comitês-PCJ

Plano das Bacias PCJ 2020-2035 prevê necessidade de investimentos de R$ 7,6 bilhões

Após quatro anos de construção coletiva, o documento passará por aprovação do Plenário dos Comitês PCJ,no dia 31 de agosto

O planejamento de ações para os próximos 15 anos com investimento estimado em R$ 7,6 bilhões é uma das principais características do Plano das Bacias PCJ 2020-2035, que será votado pelos Comitês PCJ na segunda-feira, dia 31 de agosto. A decisão ocorrerá durante a Reunião Plenária dos Comitês PCJ, órgãos colegiados responsáveis pela aprovação e acompanhamento da implementação das ações previstas. O evento será por videoconferência e poderá ser acompanhado pelo link https://bit.ly/31wZUHb.

O Plano de Recursos Hídricos é um importante instrumento de planejamento que identifica a agenda das ações necessárias, define metas e prioridades de intervenções em diversos temas estratégicos, com o objetivo da melhoria da qualidade e disponibilidade dos corpos d’água.

Os estudos realizados nas Bacias PCJ trazem análises que demonstram que, sem a implementação das ações planejadas, a região poderá ser impactada por situações críticas de suprimento hídrico, assim como pelo decaimento da qualidade da água dos rios.

Segundo o Plano das Bacias PCJ 2020-2035, aproximadamente 82% da disponibilidade hídrica da região está comprometida com o atendimento das demandas existentes, que são majoritariamente destinadas ao abastecimento público. Para além da questão da disponibilidade hídrica, as Bacias PCJ enfrentam também o desafio de recuperar e melhorar a qualidade dos corpos d’água da região.

Para reverter este cenário, o Plano identifica as ações necessárias em inúmeras frentes, que demandam elevados investimentos, em torno de R$ 7,6 bilhões até o ano de 2035.

Com horizonte de planejamento até 2035, o Plano se concretiza após quatro anos de debates junto aos setores usuários, sociedade civil e órgãos gestores da região, mediante construção coletiva que envolveu intensamente todas as Câmaras Técnicas dos Comitês PCJ e foi estruturado em cinco temas estratégicos: Águas Subterrâneas; Garantia de Suprimento Hídrico; Enquadramento dos Corpos de Água Superficiais; Uso e Conservação da Água no Meio Rural e Recomposição Florestal; e Educação Ambiental, Integração e Difusão de Pesquisas e Tecnologias.

Durante o processo, foram promovidas inúmeras consultas públicas, que culminaram com a realização de uma audiência pública em fevereiro deste ano.  De acordo com Eduardo Leo, coordenador de Sistema de Informações da Agência das Bacias PCJ e responsável pela coordenação do trabalho, “a participação dos municípios e dos serviços de saneamento das Bacias PCJ foi fundamental para a finalização do plano, de modo a fortalecer os compromissos entre os atores envolvidos na recuperação e conservação dos recursos hídricos da região”.

O secretário-executivo dos Comitês PCJ, Luiz Roberto Moretti, destaca a importância da união da sociedade para a concretização do Plano. “Há um longo caminho a trilhar. A pactuação, o comprometimento e a articulação entre os atores envolvidos será a chave para a implementação do plano rumo à imprescindível sustentabilidade hídrica das Bacias PCJ”, comenta.

O presidente em exercício dos Comitês PCJ, Marco Antonio dos Santos, ressalta os avanços que a região teve nos últimos anos. “Os Comitês PCJ se organizaram como um espaço de diálogo e negociação essencial para o planejamento e a gestão, se fortalecendo com a criação, a estruturação e a consolidação da Agência das Bacias PCJ como fator essencial para a efetiva aplicação dos recursos arrecadados com as cobranças pelo uso dos recursos hídricos”, observa, citando os resultados alcançados, concretizados por centenas de empreendimentos voltados à recuperação e à conservação dos recursos hídricos nas Bacias PCJ, que beneficiam os mais de 5,8 milhões de habitantes da região. “Merece importante destaque, nesse sentido, a evolução do tratamento de esgoto, que passou do patamar de 3%, em 1993, para 76% em 2018”, enfatiza.

OUTRAS VOTAÇÕES

Além do Plano de Bacias, na plenária dos Comitês PCJ haverá outras votações como a do Plano de Ação e o Programa de Investimentos para a gestão dos recursos hídricos nas Bacias PCJ para o quadriênio 2020 a 2023; da proposta do GT-Eleições sobre o processo eleitoral 2021-2023 dos Comitês PCJ e composição da Comissão Eleitoral; do Guia Prático para Desenvolvimento de Planos Municipais de Segurança da Água, além da eleição e posse do 1º Vice-presidente do Comitê PCJ FEDERAL.

SERVIÇO

20ª Reunião Extraordinária dos Comitês PCJ (Plenária dos Comitês PCJ)

Data: 31 de agosto de 2020 (segunda-feira)
Horário: a partir das 9h30

Link para acompanhar a reunião: https://bit.ly/31wZUHb

Pauta: www.comitêspcj.org.br

Acesso ao Relatório Final e ao Relatório Síntese do Plano de Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí para o período 2020 a 2035: https://bit.ly/317tL91

Saiba mais sobre o Plano das Bacias PCJ: https://plano.agencia.baciaspcj.org.br/

Informações para a imprensa:

Assessoria de Comunicação da Agência das Bacias PCJ

comunicapcj@agencia.baciaspcj.org.br

SOBRE OS COMITÊS PCJ

Os três colegiados que formam os Comitês PCJ – Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (CBH-PCJ), Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ FEDERAL) e o Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba-Jaguari (CBH-PJ1) — são as instâncias máximas para a tomada de decisões sobre a gestão de recursos hídricos nas Bacias PCJ, com diretorias integradas.

No próximo dia 18 de novembro, o comitê paulista (CBH-PCJ) completará 27 anos de instalação. Em março deste ano, o comitê federal completou 17 anos e o mineiro (CBH-PJ1), 12 anos.

Os Comitês PCJ abrangem 76 municípios (71 paulistas e cinco mineiros) e são compostos por representantes dos Governos Federal, dos Estados de São Paulo e de Minas Gerais, dos municípios, usuários dos recursos hídricos e da sociedade civil. Sua gestão é descentralizada e participativa, e busca a convergência das decisões desses colegiados como forma de garantir o desenvolvimento e a continuidade da gestão dos recursos hídricos nas Bacias PCJ.

A região das Bacias PCJ é habitada por cerca de 5,7 milhões de habitantes e responde por cerca de 5% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e 14% do PIB do estado de São Paulo. A Agência das Bacias PCJ, entre outras funções, atua como braço executivo dos Comitês PCJ e foi criada há mais de 10 anos, em novembro de 2009.

Tags

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support