| ABRIL 2021

CT-RN comemora 100ª Reunião Ordinária com homenagem a ex-coordenadores

Encontro virtual foi realizado no dia 28 de abril e também contou com palestra de Ricardo Rodrigues

28 de abril de 2021

A Câmara Técnica de Conservação e Proteção dos Recursos Naturais (CT-RN) dos Comitês PCJ atingiu no dia 28 de abril uma importante marca:  a realização da 100ª Reunião Ordinária. Uma prova de sua determinação na luta em prol do meio ambiente, assim como as demais 11 câmaras técnicas dos Comitês PCJ que, da mesma forma, sustentam, em cada reunião, o compromisso com a preservação dos recursos hídricos. 

O encontro foi por videoconferência e homenageou vários ex-coordenadores da CT, criada em 1994, um ano após a instalação do CBH-PCJ (Comitê Paulista). A abertura da reunião comemorativa foi realizada pelo atual coordenador da CT-RN, João Demarchi, e pelo secretário-executivo dos Comitês PCJ, André Navarro.

“Parabéns pela iniciativa dessa comemoração. É uma reunião histórica. São 27 anos de trabalho. Cada um dos que estão aqui presentes construiu um pouco dessa história. Em todo esse tempo, o papel da CT-RN foi muito importante”, ressaltou Navarro, que destacou a Política de Mananciais PCJ e o Caderno Temático de Uso da água e do solo no meio rural e Recomposição Florestal do Plano das Bacias PCJ, elaborados pela CT-RN em conjunto com a CT-Rural.

“É um número emblemático. Infelizmente não podemos estar em uma reunião presencial, mas usando a tecnologia, não deixamos passar em branco. O que a gente tem de resultados é a somatória dos esforços desses 27 anos”, comentou Demarchi.

Entre os ex-coordenadores presentes estavam Marcos Zanaga Trappé (CETESB), primeiro coordenador da CT-RN; Nelson Luiz Neves Barbosa (Fundação Florestal / Terceira Via); Rinaldo de Oliveira Calheiros (IAC/APTA/SAA / Sinergia Consultoria Ambiental); Cláudia Grabher (ELO Ambiental / INEVAT); Carlos Alberto de Aquino (Prefeitura de Atibaia); além de Márcia Calmari (DEPRN) e Arlet Maria de Almeida Nassif (Prefeitura de Piracicaba), que não puderam estar presentes na reunião.

Além das homenagens, houve também uma palestra sobre “Os desafios de escala e socioeconômicos da restauração florestal nessa década”, com o Professor Doutor Ricardo Rodrigues, da ESALQ / USP (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade Estadual de São Paulo).

Saiba mais sobre a CT-RN no site dos Comitês PCJ: https://bit.ly/3tYGDdq

CT-AS programa Workshop de Águas Subterrâneas para outubro

Preparativos para o evento começaram a ser discutidos no dia 22 de abril

22 de abril de 2021

O início dos preparativos do VI Workshop de Águas Subterrâneas dos Comitês PCJ foi discutido hoje durante a 68ª Reunião Ordinária da Câmara Técnica de Águas Subterrâneas(CT-AS), responsável pela organização do evento. O encontro foi realizado por videoconferência. O tema geral deverá ser sobre “Recarga de Aquíferos”.

O Workshop de Águas Subterrâneas já é tradicional nos Comitês PCJ e acontece a cada dois anos. Neste ano, o evento deverá ser promovido em outubro, em palestras e debates programados uma vez em cada semana deste mês, das 15h às 17h. É a primeira vez que as atividades serão virtuais, devido à pandemia.  

Na mesma reunião, os participantes também debateram sobre o andamento dos trabalhos referentes ao Plano de Monitoramento Quali-quantitativo das Águas Subterrâneas nas Bacias PCJ. Com o plano será possível implantar uma rede de monitoramento sobre qualidade e quantidade das águas subterrâneas, medida de suma importância para o planejamento da gestão dos recursos hídricos a curto, médio e longo prazo.

Houve ainda a apresentação do Trabalho “Consistência de Dados de Águas Subterrâneas como Ferramenta de Suporte à Decisão”, de autoria de Deborah do Valle Nuvens Lunardi (DAEE – Rio Claro), no curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Recursos Hídricos da EEP (Escola de Engenharia de Piracicaba) /Fumep (Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba).

Grupo CT-EA estuda ações para atrair jovens

Iniciativa visa incentivar pessoas entre 15 e 29 anos a participar de atividades em prol do meio ambiente

20 de abril de 2021

Quais assuntos abordar com o intuito de chamar a atenção dos jovens para o tema meio ambiente? Quais os meios de comunicação são os mais adequados? Estas foram algumas das questões abordadas durante a reunião ordinária da Câmara Técnica de Educação Ambiental (CT-EA) dos Comitês PCJ realizada no dia 20 de abril, por meio de plataforma online. A iniciativa faz parte do programa “Jovem, vem para o PCJ”, que abrange pessoas de 15 a 29 anos.

Durante o encontro, grupos de discussão foram formados e membros das cidades que abrangem as Bacias PCJ apresentaram pontos de vista sobre a atividade.

Todo o cronograma desenvolvido do movimento e do material é coordenado por um grupo de trabalho. A Câmara Técnica é coordenada por Ana LúciaFloriano Rosa Vieira, da Assemae.

CT-Rural e CT-RN analisam empreendimentos da Política de Mananciais

Reunião conjunta foi realizada no dia 16 de abril

16 de abril de 2021

A aprovação da análise dos empreendimentos que concorrem no edital do Programa II da Política de Mananciais foi um dos itens de pauta da 6ª Reunião conjunta das Câmaras Técnicas de Uso e Conservação da Água no Meio Rural (CT-Rural) e de Proteção e Conservação dos Recursos Naturais (CT-RN) dos Comitês PCJ. O encontro aconteceu no dia 16 de abril, por videoconferência.

O Programa II da Política de Mananciais PCJ diz respeito ao Pagamento por Serviços Ambientais (PSA-PCJ). A fonte de recursos é a Cobrança PCJ Paulista pelo uso dos recursos hídricos. As ações financiáveis são a execução de intervenções de restauração ecológica (cercamento, reflorestamento) ou a contratação de uma UCE – Unidade Coordenadora de Execução, para monitoramento, ambas de um projeto ou programa de PSA.

No mesmo encontro também foi realizada a 49ª Reunião do GT (Grupo de Trabalho)-Mananciais, que reúne membros das duas câmaras técnicas. Uma das principais discussões foi sobre a reavaliação das normas da Política de Mananciais PCJ quanto à Unidade Gestora de Projetos (UGP). Houve também apresentação de proposta de indicadores relacionados ao Monitoramento da Política de Mananciais e discussão sobre a inclusão da Política de Mananciais nos Planos de Macrodrenagem dos rios das Bacias PCJ.

A assessora ambiental da Agência das Bacias PCJ, Marina Barbosa, ainda apresentou o tema “Biodiversidade”, do Relatório Institucional GRI 2020 (https://agencia.baciaspcj.org.br/institucional2020/biodiversidade/ ).

CT-OL tem representante no GT Barragens

Iniciativa é idealizada pelos Comitês da Vertente do Tietê

16 de abril de 2021

A colaboradora do DAEE e membro da Câmara Técnica de Outorgas e Licenças (CT-OL), Cláudia Hornhardt Siqueira Fonseca, vai representar as Bacias PCJ no Grupo de Trabalho de Barragens dos Comitês da Vertente do Tietê. O anúncio foi feito durante a 88ª reunião ordinária online realizada na manhã desta sexta-feira, 16 de abril.

Na ocasião, Rodrigo Ferreira, da CETESB, falou sobre a plataforma Geoportais e E-Cenários – tecnologia direcionada ao processo de licenciamento ambiental do Estado de São Paulo.

Membro da coordenação da CT e colaboradora do DAEE, Ariana Rosa Damiano, exibiu o seu trabalho de conclusão de curso de especialização em Gerenciamento de Recursos Hídricos da FUMEP (Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba), sobre Outorga Coletiva.

A videoconferência também abordou os trabalhos realizados pelos GT-Usos da Água, GT-Enquadramento e GT-Difusão. A CT-OL é coordenada por Cecília de Barros Aranha, do DAEE.

Plataforma de Benchimarking é apresentada em reunião da CT-SA

Encontro virtual foi realizado no dia 15 de abril

15 de abril de 2021

A apresentação da Plataforma de Benchimarking foi um dos itens de pauta da 101ª Reunião Ordinária da Câmara Técnica de Saneamento(CT-AS) dos Comitês PCJ. O encontro ocorreu no dia 15 de abril, por videoconferência.

Benchimarking é o processo de avaliação de uma empresa, por exemplo, em relação à concorrência, por meio do qual incorpora os melhores desempenhos de outras firmas e/ou aperfeiçoa os seus próprios métodos. Nos Comitês PCJ, o benchimarking foi trazido para o saneamento, entre empresas e concessionárias dessa área. A iniciativa é da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo(USP).

 Na mesma reunião, houve apresentação de todas as análises realizadas por um grupo da CT-SA quanto aos pleitos para seleção de empreendimentos para financiamento junto ao FEHIDRO – exercício 2021, em reuniões realizadas nos dias 8 e 13 de abril com a Coordenação de Projetos da Agência das Bacias PCJ.

Os participantes também debateram sobre o andamento dos três grupos de trabalho da CT-AS: GT-Drenagem, GT-Resíduos Sólidos e GT-Esgotos.

“Potencial Econômico do Reúso de Água” é debatido na CT-Indústria

Reunião foi realizada no dia 14 de abril por videoconferência

14 de abril de 2021

O “Potencial Econômico do Reúso” foi o tema debatido no dia 14 de abril, na  78ª Reunião Ordinária da Câmara Técnica de Uso e Conservação da Água na Indústria (CT-Indústria) dos Comitês PCJ. A palestrante foi Maria do Socorro Lima Castello Branco, especialista em Meio Ambiente da Gerência Executiva de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Maria do Socorro apresentou um estudo sobre o impacto econômico dos investimentos de reúso de efluentes tratados de esgoto para o setor industrial no país. Ela comentou que o reúso interno existe na prática, mas ainda falta uma regulamentação para o reúso externo. “É uma forma de conservar nossos rios e baixar custos para as indústrias. O reúso é uma preparação para o futuro”, explicou. “Precisamos convencer nossos governantes da necessidade de alternativas não para um futuro daqui 10 ou 20 anos, e sim para um futuro que já está acontecendo”, ressaltou.

Na mesma reunião, o coordenador da CT-Indústria, Jorge Mercanti, fez uma apresentação sobre a situação das Bacias PCJ e previsão climática para a região. “De 2018 para cá, tem sempre chovido abaixo da média climatológica. É muito baixa a probabilidade de haver frente chuvosa este ano”, comentou Mercanti. Segundo ele, com a soma de todos os seus volumes, o Cantareira está em 60%. No ano passado estava em 76%. “O sinal está amarelo”, observou o coordenador.

Agência das Bacias PCJ apresenta investimentos do PAP 2017-2020 na CT-PB

Os números foram exibidos pelo diretor Administrativo e Financeiro, Ivens de Oliveira

14 de abril de 2021

A expressiva redução nos índices de rentabilidade dos fundos de renda fixa, o menor ingresso de recursos financeiros e o impacto do depósito em juízo realizado pela Sabesp, desde 2019, não impediram a Agência das Bacias PCJ de executar os investimentos do Plano de Aplicação Plurianual 2017-2020.

Os dados do Relatório de Avaliação da Execução do PAP foram apresentados pelo diretor Administrativo e Financeiro da Fundação, Ivens de Oliveira, durante a 90ª Reunião da Câmara Técnica do Plano de Bacias (CT-PB), realizada por meio de plataforma virtual no dia 14 de abril.

Entre 2017 e 2020 foi disponibilizado mais de R$ 91,4 milhões. Do total, foram contratados em torno de R$ 80,1 milhões – o que representa quase 88% do montante. Outros R$ 11,3 milhões estão disponíveis para contratação com alocação no PAP PCJ 2021-2025.

Na ocasião, também foi debatido a revisão da Deliberação CRH nº 146/2012, que aprova os critérios, os prazos e os procedimentos para a elaboração do Plano de Bacias Hidrográficas e do relatório de Situação dos Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica.

Política de Saúde Ambiental é destaque em reunião da CT-SAM

Em outubro de 2021, câmara técnica deverá promover um seminário com esse tema

07 de abril de 2021

A Política de Saúde Ambiental dos Comitês PCJ foi um dos principais assuntos tratados na 88ª Reunião Ordinária da Câmara Técnica de Saúde Ambiental (CT-SAM) dos colegiados. O encontro ocorreu por meio de videoconferência no dia 7 de abril.

Na primeira parte da reunião, a tecnóloga Adriana Corrêa da Silva proferiu uma palestra sobre o tema “Política de Saúde Ambiental dos Comitês PCJ – Integração entre as Câmaras Técnicas”.

Esta Política foi aprovada em plenária em dezembro de 2018. Ela trata da proteção, conservação e preservação dos recursos hídricos, com base nos aspectos relacionados com a saúde pública.

Entre seus objetivos estão a implantação de programas focados na segurança da água; minimização dos efeitos da degradação dos mananciais em consonância com a Política de Mananciais PCJ; e incentivo de ações de identificação e prevenção de problemas de saúde pública relacionados à água e saneamento básico e apoio à avaliação das condições de degradação da água bruta por meio de estudos e projetos afetos ao tema. Uma das ações da Política foi realizada em 2020, com o lançamento do Guia Prático para elaboração do Plano Municipal de Segurança da Água.

Na segunda parte, houve um debate entre os participantes sobre o Plano de Trabalho da CT-SAM para o biênio 2021-2023 e também sobre as próximas ações relacionadas à Política de Saúde Ambiental dos Comitês PCJ.

Uma das ações do Plano de Trabalho é a realização de um seminário em outubro, para apresentar as ações da Política de Saúde Ambiental dos Comitês PCJ, integrar todas as Câmaras Técnicas dos colegiados em torno do assunto e estimular os municípios a implantarem o Plano de Segurança da Água. 

CT-MH alerta para período de estiagem severa

No início de abril, Sistema Cantareira estava abaixo do ideal

06 de abril de 2021

“Iniciamos o período de estiagem com o nível do Sistema Cantareira abaixo do ideal. O registro é de 52,6% de sua capacidade, quando o esperado é 60%. Estamos em estado de atenção, principalmente porque 2021 deve ser muito severo do ponto de vista das poucas chuvas”, afirmou o coordenador da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico (CT-MH) dos Comitês PCJ, Alexandre Vilella.

O alarme foi apresentado durante reunião do grupo realizada na manhã desta terça-feira, 6 de abril, por meio de plataforma digital. Na ocasião, Ísis Franco, do DAEE, apresentou dados da Sala de Situação PCJ, que apontam precipitações abaixo da média em 11 dos 15 postos de medição, no terceiro mês do ano.

“Esperávamos um acumulado de chuva entre 100 e 200 milímetros para março. Mas, de forma geral, isso não ocorreu. As Bacias PCJ não superaram os 100 milímetros”, revelou.

Para os próximos meses, dados nada animadores. Informações do CPTEC apontam que para abril, maio e junho, as chuvas devem ficar abaixo da média em todo o Estado de São Paulo. Então, fica o aviso: vamos fazer uso consciente da água.